Consolo e direção

HISTÓRIA DE PESCADOR

Tenho 70 anos, sou viúva, mãe de treze filhos; quatro solteiros ainda moram comigo. Ganho dinheiro roçando terrenos para as pessoas, tiro ostras e mariscos e crio galinhas. Vivo em uma comunidade de pescadores no Paraná e sempre gostei de plantar ervas e fazer chás para os doentes. As pessoas começaram a pedir que eu benzesse seus filhos e assim, bem cedo, tornei-me benzedeira na comunidade.



Um dia acordei muito angustiada por pesadelos com meu irmão, que havia morrido há dois meses, dizendo que estava num lugar de tormento. Decidi visitar uns missionários da MEAP aqui perto, com minha caçula de 9 anos, e pedi que orassem por meu irmão.


A missionária falou que não era possível fazer mais nada por ele, mas que ainda poderiam ajudar a mim e a meus filhos. Disse que tinha muito respeito por mim, por eu ter idade de ser sua mãe, mas que tinha uma notícia muito ruim para me dar. Pegou a sua Bíblia e chamou minha filha para confirmar a leitura, pois eu não sei ler. Deuteronômio 18.9-13. Fiquei muito assustada! Nunca imaginei que essas coisas estivessem escritas na Palavra de Deus. Eu jamais quis desagradar o meu Criador. Eu me arrependi dos meus pecados e entreguei minha vida para Jesus Cristo, que morreu para que eu fosse perdoada, e abandonei as práticas de curandeirismo. Sempre peço para meus filhos lerem a Bíblia para mim. Ela me traz consolo e dá direção segura para as nossas vidas.

30 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo