MEAP - Base Nacional

 

Av. Helena Maria, 381

Jardim Helena Maria - Guarujá/SP
CEP: 11431-080
Contato: (13) 3383-3784
meapbr@meap.org.br

MEAP - Maranhão

 

Rua Caminho da Boiada, 391

Centro - São Luis/MA
CEP: 65015-560

Contato: (98) 3302-5235 | 98118-0364

meapma@meap.org.br

MEAP - Amapá
 

Av. Professora Cora de Carvalho, 728

Centro - Macapá/AP

CEP: 68900-040
Contato: (96) 3224 3059
meapappa@meap.org.br

MEAP - Amazonas

 

Caixa Postal 01

Centro - Lábrea/AM

CEP: 69830-000

Contato: (97) 98104-2180

meapam@meap.org.br

MEAP - Piauí

 

Rua Joaquim Frota Aguiar, 1445

Dirceu – Parnaíba/PI

CEP: 64210-220
Telefone: (86) 99984-3409
meappi@meap.org.br

 MEAP - São Paulo

Rua Otília Cardoso de Morais, 61

Ariri, Cananéia/SP

CEP: 11990-000

Contato: (13) 3852-1170

meapsp@meap.org.br

Abridor de portas


HISTÓRIA DE PESCADOR


Meu nome é Sebastião, mas todos me conhecem como ‘Peixinho’. Nasci e fui criado em uma comunidade do rio Purus. Como típico cidadão do interior amazonense, sei muito sobre vida aquática ribeirinha, pesca, barco, madeira e seringueira, e conheço todas as quebradas do longo e curvo rio.


Com pouco mais de vinte anos, me casei com a mulher mais bonita que já conheci - Dona Graça. Os anos passaram e tivemos filhos. Quando as crianças cresceram, comecei a me preocupar com a educação delas. Com coragem e determinação, peguei minha família e mudamos para Lábrea, uma cidadezinha à beira do rio Purus. Foram anos difíceis, de muita luta, mas consegui um trabalho num posto de gasolina para sustentar a família e providenciar a educação para os filhos. Aos poucos, nós mesmos construímos nossa casa, bem caprichada, de madeira, típica ribeirinha, na periferia da cidade. Mas o grande milagre, a grande transformação na nossa família, foi que eu, minha esposa e meus filhos conhecemos Cristo.


Na foto, Seu Peixinho vestindo a ‘camisa de comandante’ com o símbolo da MEAP, que ele pediu para fazer.

A MEAP está em Lábrea há três anos, para evangelizar os ribeirinhos. Meu filho, Jesus, cooperando com os missionários George e Gizelle, pilotava o barco nas viagens longas, de quinze dias, às comunidades distantes. Quando não pode mais continuar viajando, por causa do trabalho, Jesus sugeriu que o casal me convidasse para pilotar no lugar dele. Eu aceitei sem pensar duas vezes.


Logo na primeira viagem já ficou claro que essa parceria tinha sido formada no Céu. Conheço o Purus como a palma da minha mão e sou bem conhecido nas comunidades. Deus tem me usado e eu procuro dar o melhor de mim. Os missionários dizem que eu sou um ‘abridor de portas’. Eu e o George somos violonistas e formamos uma dupla no louvor, atraindo as pessoas da comunidade para ouvirem as Boas Novas.


Há muitos anos eu orava porque queria levar a mensagem de Deus ao meu povo, mas como sou iletrado, não sabia como poderia fazer isso. Agora Deus está realizando esse sonho, por meio da MEAP, e estou muito, muito feliz”!



36 visualizações